Um pouco da nossa História

Vôo livre com  a cidade ao fundo
     A colonização de Timbé do Sul ocorreu entre 1872 e 1914, com incentivo do Governo Federal. A ocupação das terras cedidas aos imigrantes foi planejada, com fornecimento de sementes, ferramentas e alimentos até a primeira colheita. A região recebeu gaúchos descendentes de italianos – José Marchesini, Pio Damiani, os irmãos Luiz, Ernesto e Ângelo Zanclatto e os irmãos João e Mansuetto Polozzato foram os primeiros a chegar à região com suas famílias.

     Logo o lugarejo, até então chamado Rocinha, começou a prosperar, dando início à construção de estradas, vendas e serrarias. A primeira casa de comércio foi instalada em 1920 pelo imigrante Carlos Savi. O nome Timbé vem de uma planta abundante na região, conhecida por "taimbé" – como os colonizadores falavam mal o português, a pronúncia ficou "timbé". Quando o município se emancipou de Araranguá, em 1967, passou a se chamar Timbé do Sul.

Quadro 1 - Aspectos gerais e históricos Aspectos Gerais e Históricos

Localização - Mesorregião IBGE

Sul Catarinense

Coordenadoria Regional do SEBRAE/SC

Regional Sul

Associação dos Municípios

AMESC - Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense

Secretaria de Desenvolvimento Regional de SC

SDR - Araranguá

Área territorial (km²)

326,7

Distância da Capital (km)

240

Clima

Mesotérmico úmido, com verão quente e temperatura média de 18,8°C.

Altitude (metros)

123

Estimativa Populacional de 2009

5.260

Densidade demográfica 2009 (hab/km²)

16,1

Data de fundação.

23 de setembro de 1967.

Colonização.

Italiana.

Eventos relevantes

16 de agosto (Festa do Padroeiro), 23 de setembro (aniversário da cidade) e maio (Festival Sul-Brasileiro de Vôo Livre).

     A História de Timbé do Sul é marcada pela união dos moradores. A enchente do Natal de 1995 devastou a cidade, desviou o leito de alguns rios e matou 16 pessoas. Graças ao esforço coletivo da comunidade, a localidade se reergueu. Para o escoamento da produção agrícola, especialmente fumo e arroz, foram construídas novas pontes e melhorados os acessos. Hoje, a cidade comemora o sucesso do Festival Sul-Brasileiro de Vôo Livre, que recebe todo ano cerca de 5.000 visitantes o que dobra a população do município. A festa tem como marco de saída uma rampa na Serra Geral (divisa de Santa Catarina com o Rio Grande do Sul) e o pouso é feito no Poço do Caixão, próximo à piscina natural formada pelo Rio Serra Velha.

O turismo ecológico desponta como nova alternativa econômica, graças às belezas naturais da região. Praias de rio, trilhas, a represa do Rio Rocinha, cachoeiras e furnas são atrativos o ano inteiro.

Os imigrantes construíram estradas para escoar a produção. O arroz, fumo e feijão foram determinantes do progresso porque, a partir da colheita, foram surgindo os primeiros armazéns.

 

TIMBÉ DO SUL POSSUI VÁRIAS OPÇÕES PARA TURISMO RURAL:

Festival Nacional de Vôo Livre:
Com um dos melhores pontos para a prática de vôo livre, Timbé não poderia deixar de realizar um Festival nacional do gênero. Realizado no Morro das Antenas, reúne todos os anos um grande público.

Morro das Antenas:
Na divisa com o Rio Grande do Sul, no meio da Serra Geral, localiza-se o Morro da Antena. O morro é palco da prática de vôo livre. Considerado um dos melhores pontos nacionais para a prática deste esporte, ele atrai esportistas de vários cantos do país.

Rio dos Saltos:
Na região de Rio dos Saltos, no interior de Timbé, pode-se ter um belíssimo passeio turístico visitando quedas d’água, seguindo trilhas e conhecendo escavações feitas pela erosão (furnas), estas últimas, em local de difícil acesso.

Poço do Caixão:
O Poço do Caixão é o local de pouso das asa deltas que partem do Morro das Antenas. Por lá, passa o Rio Serra Vermelha que forma uma enorme piscina natural.

Galeria de Fotos

Ítens para Download

Download sebrae_timbe_do_sul.pdf (4,28 Mb)



Previsão do tempo




Prefeitura Municipal de Timbé do Sul.